Anúncios
Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Outubro, 2012

Existe uma discussão muito acalorada e com muitas dúvidas para se saber quem é Filho ou descendente direto de um determinado Ndanji (axé), quem é parente, e quem é aderente.

Na minha concepção e em conversa com os mais antigos, cheguei a uma simples conclusão e posição a respeito do polêmico assunto.

 

Filho: É todo aquele que é feito dentro da casa matriz, pelo Zelador (a).

 

Descendente: É todo aquele que é filho de um filho direto da casa matriz.

 

Parente: É todo aquele que é filho de uma casa descendente da casa matriz.

 Exemplos; Tios, Tias, Primos, Primas, Sobrinhos e etc.

 

Aderente: São as pessoas que vêm de outra casa e tomam obrigação na casa matriz ou em suas descendências.

 

*Somente a casa matriz tem o direito de estampar a bandeira “Axé Tal”,  as provenientes, podem estampar a bandeira de “Descendentes de Tal Axé”

 

*As casas dos aderentes, só poderão estampar a bandeira do axé a que aderiram, desde que seja plantada ali, seus fundamentos, ritos e preceitos.

 

*Não é porque o Zelador (a) tomou obrigação em um determinado axé que sua casa e seus filhos se tornarão automaticamente pertencentes ao axé que o Zelador (a) tomou obrigação.

 

As leis do universo são imutáveis, quem nasce brasileiro mesmo que se naturalize americano, e, mesmo com todos os direitos civis do pais que lhe acolheu, sempre será brasileiro.

 

“Não temos que ter vergonha de nossas origens, porque quem não sabe ser pequeno, nunca crescerá”.

Anúncios

Read Full Post »

Agutan, porque ofertamos aos Ancestrais?

A importância do Agutan nesses rituais fúnebres, bem como, no Culto aos Ancestrais de modo geral.

Há uma antiga história Nago que diz que Iki, foi consultar Ifá, o Deus da Adivinhação. Nessa consulta, Ifá disse à Iki que ele possuía um “amigo” (Agutan), que intentava matá-lo. Ifá recomendou à Iki, que realizasse uma oferenda, de modo que esse suposto amigo não tivesse sucesso em sua empreitada e que cantasse um determinado cântico caso estivesse em perigo.

Muito atento às orientações de Ifá, Iki realizou tudo como lhe fora prescrito e aprendeu a determinada cantiga.

Um dia, Agutan foi visitar o Deus Olofin, percebendo que o seu santuário de culto aos ancestrais estava vazio. Assim, ele indagou à Olofin, o que ele usava como oferendas no culto aos seus Ancestrais. Olofin, por sua vez, respondeu que ele utilizava Obì como sacrifício. Agutan riu muito, dizendo que, embora isso fosse bom, ele teria algo muito melhor para ser ofertado aos Ancestrais (Iki), Olofin agradeceu e, disse que iria aguardar a oferta para que pudesse novamente render homenagens aos ancestrais.

Agutan, então, foi visitar Iki, perguntando-lhe se, o seu pai, já havia lhe contado sobre um jogo que ele e Agutan costumavam sempre jogar. Iki afirmou que não, que seu pai nunca havia lhe falado sobre esse jogo, perguntando como que era.

Agutan disse a Iki que o jogo era bastante simples. Que ele deveria entrar em um recipiente de madeira fechado, enquanto o outro lhe carregava para dar umas voltas, durante 70 passadas e depois trocavam de posições. Iki falou que, realmente seu pai nunca havia lhe dito sobre essa brincadeira, mas parecia ser divertida.

Agutan colocou um recipiente de madeira no chão e entrou dentro. Ele pediu a Iki que tampasse e então o carregasse por alguns lugares. Percorrida a distância de 70 passadas, Agutan disse que era a vez de Iki.

Iki, então, entrou no recipiente de madeira, mas após os 70 passos, Agutan não parou para Iki sair. Iki implorou que Agutan parasse para ele sair, no entanto, Agutan não lhe deu ouvidos. Iki então lembrou-se dos conselhos de Ifá, sobretudo a orientação sobre o cântico. Imediatamente Ikin começou a cantar os versos que Ifá lhe ensinou.

Após alguns momentos, Agutan sacudiu o recipiente e ouviu o som dos braceletes de ferro e continuou caminhado para casa de Olofin, pensando que Iki ainda estivesse dentro do recipiente.

Quando ele chegou à casa de Olofin, ele entregou o recipiente a Olofin, dizendo que ali estava a oferenda que havia prometido aos Ancestrais.

Quando Olofin abriu o recipiente, viu somente braceletes de ferro e ficou muito irritado, pois Agutan havia lhe enganado.

Olofin disse que devido Agutan tentar enganá-lo, ele seria ofertado aos Ancestrais. Após esse dia, Agutan tornou-se oferenda aos Ancestrais.

Nós do Terreiro de Òsùmàrè, esperamos estar contribuindo para a elucidação e edificação da nossa Cultura, explanando sobre os nossos importantes dogmas sem que, no entanto, revelemos aquilo que só é facultado aos iniciados.

Que o nosso Pai, Òsùmàrè Aráká, abençoe sempre a vida de vocês.
Texto Casa do Òsùmàrè.

.

Read Full Post »

« Newer Posts

%d bloggers like this: